Mauá
Publicado às 9h05 — 27 de janeiro de 2017
Vice-prefeita Alaíde Damo pede exoneração de Orosco

Mãe de Vanessa sustenta que o genro queria induzir a esposa ao suicídio

Por Vinicius Pinheiro | Portal Mauá e Região

alaide

A vice-prefeita de Mauá, Alaíde Damo (PMDB) resolveu quebrar o silêncio e falou ao ABCD MAIOR sobre o caso envolvendo a filha, a ex-deputada estadual Vanessa Damo (PMDB) que acusa o marido, o secretário de obras da Orefeitura, José Carlos Orosco Júnior de agressão física. Alaíde defendeu a exoneração imediata do secretário. O prefeito Átila Jacomussi (PSB) vem tratando o caso internamente e ainda não se pronunciou sobre o pedido de exoneração, mesmo passados três dias da denúncia de Vanessa.

O caso foi registrado na DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) de Mauá na última segunda-feira (23/01), onde Vanessa deu a sua versão do episódio ocorrido no dia anterior, quando foi ao apartamento dos sogros para recuperar as duas filhas do casal, uma de um e outra de três anos de idade. A ex-parlamentar e o marido discutiram e, de acordo com o termo de declarações da vítima, Orosco teria agredido Vanessa, arrastando-a para o elevador do prédio, com a ajuda do pai, José Carlos Orosco Roman. O secretário de Obras teria, ainda de acordo com Vanessa, tentado asfixiá-la. A Polícia Militar foi chamada e separou o casal, tendo a ex-deputada conseguido levar as filhas.

REFÚGIO

Alaíde conta que Vanessa e as netas estão sob seus cuidados, em local que Orosco não conhece. “Minha filha está com o ombro deslocado, está muito machucada, mas agora está se fortalecendo. Ela sofreu muito, pois aquele homem (Orosco Júnior) queria levar minha filha a cometer suicídio. Eu criei muito bem a minha filha, não foi para ela ser espancada”, desabafou a mãe.

Ainda de acordo com a vice-prefeita, Vanessa preferiu inicialmente não tornar público o atrito com Orosco. “Ela não contava nada para a família porque tinha medo. Meu marido tem 84 anos e ela temia pelo mal que isso poderia fazer à saúde dele. Acho também que ela não estava acreditando que o primeiro namorado, e pai de suas filhas, estava fazendo. Ele estava levando minha filha ao suicídio”, diz Alaíde, que disse ter em mãos vídeos que mostram a agressão sofrida pela filha. “Eu fui resgatar minha filha das mãos dele. Ele (Orosco Júnior) me odeia porque eu o enfrento. Eu pedi ao Átila que tomasse logo uma posição pela exoneração”, disse a vice-prefeita.

PMDB

Enquanto o prefeito não se manifesta, o PMDB já deu indicação de que, caso for comprovada a culpa, Orosco Júnior pode sofrer sanções partidárias, já que preside o Diretório peemedebista de Mauá. Na terça-feira (24/01), o presidente estadual do PMDB, deputado federal Baleia Rossi, e o secretário-adjunto do PMDB de São Paulo, Rodrigo Arenas ,se manifestaram prestando solidariedade a Vanessa e informaram que vão “aguardar a manifestação dos envolvidos para tomar as medidas cabíveis”.

No termo de declarações de Vanessa, o qual o ABCD MAIOR teve acesso, a vítima solicita medida protetiva, ou seja, Orosco não poderia se aproximar da vítima e seus familiares nem manter contato por qualquer meio de comunicação. Alaíde confirmou que a Justiça acatou o pedido.

Por ABCD Maior – Redação

Outros Destaques

Colunistas

A Sociologia dos Trópicos

Colunistas

Areia Branca, de Luiz Maritan

Colunistas

Curso: O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa na prática

Siga-nos
Destaques
Atila entrega chaves de apartamentos para 520 famílias
Crianças e jovens resgatam a cultura popular de Mauá
Nova edição do Jornal Mauá e Região
Revista
Jornal