Ribeirão Pires
Publicado às 10h06 — 28 de outubro de 2015
Secretaria de Cultura e Turismo é extinta

A medida visa colaborar com maior economia dos gastos públicos ao excluir cargos e otimizar funções

Por Leonardo Ratti | Portal Mauá e Região

Ribeirão Pires

A Prefeitura Municipal da Estância Turística de Ribeirão Pires informa que a Secretaria de Cultura e Turismo será descontinuada e as atribuições deverão integrar outras Pastas do Governo. A medida visa colaborar com maior economia dos gastos públicos ao excluir cargos e otimizar funções.

A partir de novembro o departamento de Cultura integrará a Secretaria de Educação, Inclusão e Tecnologia. Por meio de ações conjuntas a nova atribuição da Pasta manterá os programas de ensino especial, como as escolas municipais de Música, de Artes, de Dança e demais programas educacionais de ordem cultural. A expectativa é que agora tais programas recebam reforço pedagógico e sejam atrelados a iniciativas de toda a Rede Municipal de Ensino. Nenhum convênio mantido pela então Secult será extinto.

“Com isso temos um ganho não só econômico, mas também de conteúdo. Agora as políticas públicas de Educação também estarão ligadas ao conteúdo cultural, promovendo um acréscimo na qualidade oferecida nos diferentes cursos”, disse o Prefeito Saulo Benevides.

O setor de Turismo passa a integrar provisoriamente a Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Com isso o governo espera colaborar com o fomento do setor por meio da política de incentivos fiscais junto às empresas interessadas em investir no setor. Atualmente está em processo de votação na Câmara Municipal o projeto de lei de autoria do Executivo que cria a RPTuris, uma autarquia dedicada exclusivamente em gerir e desenvolver o setor de turismo da cidade.

Pacote de redução de gastos – Em 2015 a Prefeitura de Ribeirão Pires aplicou uma série de medidas para redução dos gastos públicos. Dentre as principais destacam-se:

  • Corte de 15% no salário do prefeito, da vice-prefeita e dos secretários municipais;
  • Corte de 15% na jornada de trabalho dos funcionários comissionados, que resultou em economia na folha de pagamento;
  • Redução do número de estagiários;
  • Suspensão da gratificação para funcionários de carreira;
  • Revisão de gastos em contratos de aluguel de imóveis e veículos;
  • Revisão de gastos em prestação de serviço em geral;
  • Incentivo à economia de água, energia e combustível (aplicando inclusive cota reduzida semanal para este último item);
  • Renegociação de débitos com fornecedores.

Outros Destaques

Colunistas

Cadê você?, de Tainá Roberta

Colunistas

Prosa de peão, de Jerônimo de Almeida Neto

Colunistas

Otávio Zaia e o livro “Nóis sabe português”

Siga-nos
Destaques
Vereadores autorizam abertura da CEI da Saúde
Prefeito Atila entrega novos leitos no Nardini
Rio Grande sofre com falta de infraestrutura
Revista
Jornal