Mauá e Região
Publicado às 14h32 — 19 de dezembro de 2016
Transporte rodoviário é o maior poluidor da região

Conforme pesquisa, São Bernardo é o município que mais polui com transporte e produção de resíduos

Por Vinicius Pinheiro | Portal Mauá e Região
abcd

Maior agente poluidor da atmosfera na Região é o transporte rodoviário. Foto: Rodrigo Pinto

“O maior responsável pela poluição atmosférica na região é proveniente, sem dúvida, dos carros e meios de transporte”, disse o coordenador do GT Meio Ambiente do Consórcio Intermunicipal, João Caetano, ao contrariar a crença de que as indústrias locais seriam as maiores responsáveis pela poluição local.

Na sexta-feira (16/12), o Consórcio Intermunicipal divulgou o Primeiro Inventário Regional de Emissões de Gases de Efeito Estufa do ABCD com informações datadas de 2014 e de 2016 de órgãos e fontes oficiais variadas para gerar dados. O objetivo é ter uma base para as futuras gestões combaterem a poluição com políticas públicas.

“A resposta para o maior problema de poluição do ABCD é melhorar o tranporte público, mas diante do posicionamento do governo estadual para extensão do metrô fica ainda mais difícil”, disse Caetano ao se referir às incertezas das obras de construção de estações do metrô na região.

A pesquisa que levou oito meses para ser feita dividiu a emissão de CO2 por energia estacionária (pontos fixos que emitem CO2), resíduos e transportes. “Agora que dimensionamos os setores que mais sujam o ar dos municípios, podemos determinar políticas para reduzir o avanço da poluição”, completou o coordenador.

Pesquisa

No quesito emissão de gases por transporte rodoviário, também com base em 2014, São Bernardo emitiu 2.097.250 toneladas de CO2, isto é, 35% do total de 2014. Santo André emitiu 1.683.478 (28%). Diadema e Ribeirão Pires ficaram empatadas com 11% cada. São Caetano apresentou 9% seguida por Mauá, 5%.

Conforme a pesquisa, pautada pelo consumo de eletricidade, gás natural, combustível fóssil e gás liquefeito de 2014, a cidade que mais emitiu toneladas de CO2 de fontes estacionárias foi Santo André com 1.014.081, o que representa 38% do total. Em seguida vem São Bernardo com 27%. Depois a ordem é a seguinte: Ribeirão Pires, 15%, Diadema, 11%, e São Caetano, 7%.

A emissão de resíduos foi feita calcada em informações do mesmo ano do lançamento do inventário. 30% veio de São Bernado (370.025 de toneladas de CO2) e 28% de Santo André (346.812 toneladas de CO2). Diadema ficou em terceiro lugar com 14%, Ribeirão Pires com 13%, São Caetano com 9% e Mauá com 5%.

Por Caio Luiz – ABCD Maior

Outros Destaques

Colunistas

Literatura, memória nacional e ensino de língua portuguesa

Colunistas

Entrevista exclusiva com o Prof. Dr. Saulo César Paulino e Silva

Colunistas

Cadê você?, de Tainá Roberta

Siga-nos
Destaques
Paço de Ribeirão é alvo de assalto a caixa eletrônico
Novembro Azul: Mês marca campanha mundial de conscientização
Porcelana Schmidt abre nova loja em Mauá
Revista
Jornal