Acidentes
Publicado às 8h52 — 30 de janeiro de 2017
Queda de árvores danifica três casas e um carro

Acidente ocorreu na Vila Real; ninguém ficou ferido gravemente e o bairro ficou sem luz e telefone

Por Vinicius Pinheiro | Portal Mauá e Região
queda

Uma das casas foi completamente destruída pela queda de árvore. Foto: Andréa Iseki

A forte chuva de quinta-feira (26/01) trouxe prejuízo para os moradores na Vila Real, em Mauá. Duas árvores caíram na rua Isabel Lima de Sousa, atingindo três casas e um carro. Um dos imóveis foi completamente danificado. Ninguém ficou ferido gravemente.

Uma das árvores atingiu em cheio uma casa, por volta do meio-dia. Duas crianças gêmeas, de quatro anos, estavam no local no momento do acidente, mas não se feriram. A tia, que estava com as meninas, teve ferimentos leves, conforme contou a vizinha e diarista Rosemeire Alves, 49 anos.

A casa ficou completamente destruída, pois a árvore caiu em cima do telhado, atingindo vários cômodos e danificando também os móveis e eletrodomésticos. “Ninguém está na casa porque não tem condições. As meninas estão com a mãe na casa da vó”, contou Rosemeire.

A casa da diarista também foi danificada. A árvore atingiu o telhado da lavanderia, mas não tinha ninguém em casa no momento do acidente. “A gente nem acabou de pagar o pedreiro e nem a obra do telhado”, contou. A estrutura havia sido construída há um mês e o prejuízo estimado foi de R$ 7 mil, contando materiais de construção e mão de obra.

Reclamação

O marceneiro Rogério Araújo, 38 anos, marido de Rosemeire, é que estava recolhendo os destroços das telhas e os pedaços do tronco da árvore. “A Defesa Civil veio aqui, falou que ia retirar a árvore, mas até agora nada”, reclamou.

A casa da frente destas duas teve o telhado parcialmente atingido pela queda da árvore. Por conta do incidente, um trecho da rua ficou sem energia elétrica até a tarde desta sexta-feira (27/01) e sem telefone fixo, sem previsão de retorno.

Carro amassado

Já o carro do revisor de corte Rafael da Silva Alves, 23 anos, estava estacionado em frente à casa que foi totalmente danificada. O veículo teve a parte traseira amassada, mas continuou funcionando e foi levado até a garagem do morador. “Os bombeiros tiraram o tronco da árvore de cima, quando cheguei do trabalho, já estavam tirando”, lembrou.

O veículo, um Corsa, estava financiado e ainda restava metade do valor a ser quitado. Alves contou que não tinha seguro para o automóvel. “Se der perda total vou continuar pagando uma coisa que não tenho”, lamentou. Enquanto não providencia o conserto, o revisor de corte irá para o trabalho de transporte público, tendo que pegar três ônibus e trem.

Por Jessica Marques – ABCD Maior

Outros Destaques

Colunistas

AVC em crianças

Colunistas

A Sociologia dos Trópicos

Colunistas

Areia Branca, de Luiz Maritan

Siga-nos
Destaques
Início às obras do Centro de Iniciação ao Esporte
Mauá registra queda na criminalidade em maio
Sai a lista das atrações do Festival do Chocolate
Revista
Jornal