Mauá
Publicado às 11h05 — 17 de maio de 2017
Negociação sobre volta de integração tarifária avança
Por Vinicius Pinheiro | Portal Mauá e Região

integração

Discutida desde o início deste ano, a possível retomada do convênio entre Prefeitura de Mauá e CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) para integração tarifária entre sistema de trens e ônibus do município pode ser sacramentada ainda neste mês.

Após a gestão chefiada pelo prefeito Atila Jacomussi (PSB) entregar nas últimas semanas a documentação solicitada pela CPTM para renovação do contrato, rompido no ano passado, a companhia estadual promete agora confirmar até o fim de maio a possível viabilidade para que o benefício aos usuários seja retomado nos próximos meses.

A companhia admite que no momento analisa o processo que contém toda documentação entregue pela Prefeitura de Mauá e necessária para a retomada do convênio, suspenso desde março do ano passado após a Prefeitura, então chefiada pelo ex-prefeito Donisete Braga (PT), não repassar os valores na ordem de R$ 1,054 milhão previstos no antigo contrato.

Na ocasião, o poder público de Mauá chegou a ser incluído no Cadin (Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais), registro que verifica pendências financeiras de municípios com entidades do governo estadual, o que bloqueou repasses do Estado ao município.

“Desde o início da nossa gestão estamos em contato constante com a CPTM para que a integração tarifária volte a beneficiar os usuários de Mauá. Conseguimos tirar todas as pendências e, no início do mês, entregamos os documentos necessários para que a companhia avalie. Agora, depende somente deles”, explica Atila Jacomussi.

Conforme noticiado pelo Diário, desde março a Prefeitura tem trabalhado para retirar os equipamentos da empresa PK9 Tecnologia e Serviços Ltda, antiga empresa responsável pelo sistema de bilhetagem do município. O procedimento, que era uma das ações pendentes que barravam a então renovação do convênio, foi concluído no mês passado.

Lançada em setembro de 2014 e suspensa posteriormente em março do ano passado, a integração dos dois sistemas era feita por meio do bilhete eletrônico SIM (Sistema Integrado Mauá). A partir do benefício, o usuário que fizesse baldeação na estação ferroviária do Centro de Mauá teria desconto de R$ 0,50 por viagem. A estimativa da Prefeitura era a de que o serviço aumentasse em até 30% o fluxo de passageiros.

Por Daniel Macário – Diário do Grande ABC

Outros Destaques

Colunistas

Otávio Zaia e o livro “Nóis sabe português”

Colunistas

AVC em crianças

Colunistas

A Sociologia dos Trópicos

Siga-nos
Destaques
Jornada Pedagógica de Ribeirão reúne 1.200 professores
Mauá discute melhorias na Saúde
Em congresso, PSB Mauá reelege Israel Aleixo
Revista
Jornal