Colunistas
Publicado às 9h50 — 7 de agosto de 2017
Otávio Zaia e o livro “Nóis sabe português”

Nesta entrevista, Otávio Zaia, que ilustrou o livro “Nóis sabe português”, dos professores Cida Simka e Sérgio Simka, publicado recentemente pela Wak Editora, fala sobre seu trabalho e novos projetos.

Por Sérgio Simka | Portal Mauá e Região

capaFale-nos um pouco sobre você.
Otávio Zaia é um jovem ilustrador que quando começa a desenhar entra em um mundo só seu, transformando muitas vezes parte de sua personalidade nos personagens que cria ou desenha. É a hora que eu digo: “Com licença, mas começou o meu momento.“ E realmente deixo de lado o mundo inteiro! (risos)
Tenho paixão por desenho desde muito cedo e por livros também. Apesar de não ter muito tempo para ler e acumular pilhas de livros lidos até a metade, possuo minha “biblioteca” particular dentro de casa, com obras de diversos gêneros bem diferentes uns dos outros, que vão desde histórias fictícias a assuntos reais, atuais ou antigos. Sou um curioso de primeira e gosto de saber de tudo um pouco. Enfim, ilustrar é o meu jeito de expressar e sentir quem realmente eu sou.

Como começou a sua paixão por desenhar/ilustrar?
Começou ainda na infância aos dois anos de idade pelo que me lembro, quando minha mãe, que por coincidência foi estudante de artes plásticas, me incentivava a desenhar figuras. Mas a coisa ficou séria mesmo, quando ainda criança ouvi sobre quem era Walt Disney, e sonhei um dia em ter uma “fábrica de desenhos” como a dele. Passava dias criando personagens, produzindo gibis grampeados em folha sulfite, levava na escola e a criançada caía em cima pra ler e ver os desenhos. E gostavam.
Com o tempo fui me aprimorando, sou bem eclético quando desenho, no que se refere aos estilos de ilustração, e sempre escolho o mais adequado para o objetivo naquele momento.

Como tem sido a receptividade quanto ao livro que ilustrou?
Ah, foram muitos elogios e muita curiosidade em cima da obra também. Escutei coisas como: eu sempre acreditei no seu talento; parabéns; quero um autografado; poxa que legal; manda fotos. (risos)
Teve uma boa receptividade por parte dos meus conhecidos e estou feliz!

Tem algum novo projeto?
Sim, atualmente estou escrevendo um livro que conta uma história fictícia, ou não, mas que vou deixar no ar e na curiosidade sobre do que se trata; pretendo eu mesmo encher de ilustrações!

Outros Destaques

Colunistas

AVC em crianças

Colunistas

A Sociologia dos Trópicos

Colunistas

Areia Branca, de Luiz Maritan

Siga-nos
Destaques
Jornada Pedagógica de Ribeirão reúne 1.200 professores
Mauá discute melhorias na Saúde
Em congresso, PSB Mauá reelege Israel Aleixo
Revista
Jornal